Brigada Jovem de Literatura reconhece actos meritórios de John Bella Bela

Brigada Jovem Literatura Bjla no Huambo aproveita este espaço para agradecer a FEBACLA, pelo reconhecimento dos actos meritórios, culturais, científicos e sociais na literatura do angolano John Bella Bela, concorrendo para a integração e engrandecimento da cultura Universal.

36404828_1048513268655822_6979319618322038784_n

Anúncios

28 Junho 2018 – Sarau Poético-Literário

28 Junho 2018 – Sarau Poético-Literário

HOMENAGEADO autor John Bella Bela

Local: Mediateca Zé Dú, Biblioteca em Cazenga, Luanda, Angola
Horário: Quinta-feira às 16:00 – 19:00
Contato: +244 992 508 599

35643790_2149542805283061_8986394467518906368_n

 

John Bella galardoado no Brasil

O escritor John Bella foi agraciado pela Federação Brasileira dos Académicos das Ciências, Letras e Artes (FEBACLA) co-m o Prémio Caneta de Ouro 2017, Comenda Benfeitor Cultural da Humanidade e o título de Filósofo Honório pelo contributo às artes angolanas.

20180619102409cultura

A cerimónia de outorga está agendada para Setembro, no Brasil, onde o escritor an-golano se vai deslocar para ser condecorado. O Prémio Caneta de Ouro 2017 da FEBACLA é atribuído a John Bella por ser considerado um escritor de grande expressão literária no Brasil.

O título de Filósofo Honório é atribuído pelo presidente da FEBACLA, Príncipe Dom Alexandre da Silva Camêlo Rurikovich Carvalho, no uso das suas atribuições regimentais e estatutárias.

A Comenda Benfeitor Cultural da Humanidade é outorgada a John Bella em reconhecimento aos seus actos meritórios, culturais, científicos e sociais, concorrendo para a integração e engrandecimento da cultura universal.

Em declarações ao Jornal de Angola, o escritor angolano disse ser uma honra pessoal e para o país a distinção da FEBACLA, uma vez que tem desenvolvido com a instituição uma intensa actividade literária, com apresentações dos seus livros e de outros autores angolanos, com destaque para a obra de Agostinho Neto.

Entre as acções desenvolvidas estão a realização de palestras, participações em recitais de poesia, conferências e outras iniciativas culturais em cidades como Taubaté, Lorena, Tremembé (São Paulo), Rio de Janeiro, Bahia, Natal e Rio Grande do Norte.

Dos quinze livros publicados pelo autor angolano, os leitores brasileiros interessaram-se bastante pelos dois romances sobre a Rainha Njinga, “tanto que uma das conceituadas editoras de São Paulo, a Casa Cultura, está a reeditá-las e traduzi-las para inglês”.

Fonte: http://jornaldeangola.sapo.ao/